Caminhando...
 
27
Dez 09

(imagem retirada da internet) 

 

Das três festividades que se comemoram nesta altura, o Natal já passou. Com ele, vieram momentos em família, alguma nostalgia e, felizes reencontros.

Outra festividade vem aí, o Ano Novo que, a par da terceira, é a que mais me diz.

O fim de um ano, e inicio de outro, é sempre uma altura em que gosto de reflectir relativamente ao que aprendi e enriqueci com o ano transacto e, delinear estratégias para que o novo ano seja colorido. Mais importante, significa que, mais um ano passei com as pessoas que mais me dizem e mais estimo!

A vinda de um Novo Ano traz consigo esperança. 

 

Deixo-vos aqui a tradução da letra da música que está em reprodução cujo titulo é “The Impossible Dream”  e que gostaria de partilhar convosco pois tem uma lindissima mensagem!

 

“Tornar o sonho impossível
Combater o inimigo imbatível
Suportar uma dor insuportável
Ir aonde os corajosos não se atrevem ir
Corrigir o incorrigível erro
Ser muito melhor do que se é
Tentar quando seus braços
Estiverem exaustos
Alcançar a inalcançável estrela

Esta é minha busca,
Seguir esta estrela
Não importa quão sem esperança
Não importa quão distante

Lutar pelo direito
Sem pergunta ou descanso
Estar disposto a marchar para o inferno
Por uma causa divina
E eu sei, se somente for sincero
Para esta gloriosa busca
Que meu coração
ficará em paz e calmo
Quando eu morrer
Para meu descanso
E o mundo seria melhor por isso

Que um homem desprezado
E coberto de cicatrizes
Ainda luta com o que
Resta de sua coragem
Para alcançar a inalcançável estrela"

 

Com carinho e amizade deixo-vos aqui um grande beijinho e votos de um Fantástico Novo Ano para Todos!

 

publicado por Caminhando... às 17:23
21
Dez 09

(imagem retirada da internet)

 

O que mais desejo é que o muito falado "espírito natalício", que engloba sentimentos nobres como o altruísmo, amizade, amor, solidariedade, fraternidade e paz, não dure apenas um, mas sim todos os dias do ano!

 

Um Feliz Natal para todos vós!

 

18
Dez 09

(imagem retirada da internet)

 

“Ser feliz é ter futuro e é dar futuro. Todos pensamos ser felizes e acordamos todos os dias com esse desejo. Mas ser feliz não é uma sorte, nem é ausência de problemas. É viver com sentido, com coragem, construindo o futuro e dando futuro. Isso depende de mim.

Era uma vez um homem que corria e corria pela vida... A vida era curta e necessitava de correr muito para gozar muito e ser feliz. E quanto mais corria, mais necessitava de correr! Descobria sempre mais lugares para visitar! Necessitava encontrar tudo e gozar de tudo. Até que um dia, cansado de tanto correr, parou. Então, a felicidade pôde alcançá-lo.”

 

Vasco Pinto de  Magalhães

 

O amigo  FilipeP presenteou-me com este prémio:

 

 

Como nunca é demais agradecer: Muito Obrigada Filipe pelo carinho e constante simpatia!

E como o bom de ter é poder partilhar, os blogs a que atribuo este prémio são:

- Just moments

- Um breve olhar

- Pingo de mel

-Teresa

- Marta M

- Doce Refugio

- Azul do céu

- Começar de novo

-Cuidando de mim

- Miguxa

- MissAna

-Infinito e mais além

- Cris

Marta

-Coisas de gato

-Noite sem fim

Nucha

14
Dez 09

 

(imagem retirada da internet)

 

O perdão é algo que considero de extrema importância para que um coração ferido (seja por que razão for) se possa regenerar e voltar a sentir.

Muitas comparações são feitas entre o perdoar e o esquecer aliás, como li ainda há pouco: “O perdão é o esquecimento completo e absoluto das ofensas, vem do coração é sincero, generoso e não fere o amor-próprio do ofensor.”

 

Considero, acredito e sinto que, perdoar não pode ser sinónimo de esquecimento. Quando se desculpa sim, consegue-se esquecer depois a atitude que levou à necessidade de um pedido de desculpas pois, atitudes menores são passíveis de ser desculpadas visto que, não causaram danos permanentes em alguém. Enquanto, quando o que foi feito/dito feriu seriamente os sentimentos de alguém e fez com que a marca deixada ficasse permanente, o Perdão aqui considero o indicado.

Ao perdoar, o ressentimento dissolve-se e, a marca continua lá mas, não está constantemente no pensamento, tendo em conta que, já se conseguiu enfrentar o tormento de frente, aliviando a constante corrosão interior.

 

O perdão tem várias interpretações. Para uns é divino e impraticável pelos homens, algo que, talvez com um pouco de ingenuidade, eu acredite. Existem de facto pessoas de muito má índole, havendo ainda assim Grandes Pessoas. Gosto de pensar que existem pessoas fiéis, leais e que saibam de facto respeitar o outro. Felizmente e com muito agrado, conheço algumas, o que faz com que não acredite que todo o ser humano, por sê-lo, seja incapaz de conseguir perdoar.

 

Quando se sente necessidade de perdoar alguém que nos é muito próximo e nos magoou bastante, acredito que podem ser dadas segundas oportunidades, aliás, julgo que todos podemos ser dignos de uma nova oportunidade, tendo apenas que mostrar (de forma sincera) que se pode ser de novo merecedor de confiança. Importante será mostrar-se arrependido e ciente do erro cometido e fazer por merecer de novo a atenção e apreço.

Ao perdoar, ficasse livre de rancores, não sendo correcto, nem justo, situações presentes serem comparadas com antigas.

 

Perdoar dissolve o sentimento e é um passo emocional, uma decisão individual de libertar de dentro do nosso ser a carga que nos oprime.

Acredito assim que: “Perdoar é saber curar-se sem quebrar, é ser suficientemente forte para suportar o peso do sofrimento e ter capacidade de recuperar!”

 

Para terminar, acredito que ao perdoar estamos acima de tudo a fazer um favor a nós mesmos!

 

publicado por Caminhando... às 21:39
11
Dez 09

(imagem retirada da internet)

 

“O poder interior do homem pode-se comparar ao de um rio que, impedido por um dique, forme uma bacia artificial dando assim origem a uma fonte de energia. Mas há séculos que este dique tem uma falha, a bacia está quase vazia, a energia pouco menos que gasta e todas as regiões em volta estão na escuridão. Deve-se portanto reforçar o dique e permitir que o nível da água suba. Por outras palavras, para encontrar uma ideia do homem, isto é, uma fonte de verdadeira energia, necessita-se que os homens reencontrem o gosto pela contemplação. A contemplação é o dique que alimenta de água a bacia. Ela permite aos homens acumular de novo a energia de que a acção os privou.”

 

Alberto Moravia

publicado por Caminhando... às 20:42
04
Dez 09

(imagem retirada da internet)

 

“You can run but you cannot hide
This is widely known
And what you plan to do with your foolish pride
When you're all by yourself alone
Once you tell somebody the way that you feel
You can feel it beginning to ease
I think it's true what they say about the squeaky wheel
Always getting the grease.

(…)

Better to shower the people you love with love
Show them the way that you feel
Things are gonna be just fine if you only will

(…)
You'll feel better right away
Don't take much to do
Sell you pride
They say in every life
They say the rain must fall
Just like pouring rain
Make it rain
Love, love, love is sunshine.
Make it rain
Everybody, everybody
Shower the people you love with love”

 

(parte da letra da música em reprodução)

publicado por Caminhando... às 22:10
música: James Taylor - Shower the people
01
Dez 09

 Caminho de cores

(imagem retirada da internet)

 

"Caminho: faixa de terra sobre a qual se anda a pé. A estrada distingue-se do caminho não só por ser percorrida de automóvel, mas também por ser uma simples linha ligando um ponto a outro. A estrada não tem em si própria qualquer sentido; só têm sentido os dois pontos que ela liga. O caminho é uma homenagem ao espaço. Cada trecho do caminho é em si próprio dotado de um sentido e convida-nos a uma pausa. A estrada é uma desvalorização triunfal do espaço, que hoje não passa de um entrave aos movimentos do homem, de uma perda de tempo.
Antes ainda de desaparecerem da paisagem, os caminhos desapareceram da alma humana: o homem já não sente o desejo de caminhar e de extrair disso um prazer. E também a sua vida ele já não vê como um caminho, mas como uma estrada: como uma linha conduzindo de uma etapa à seguinte, do posto de capitão ao posto de general, do estatuto de esposa ao estatuto de viúva. O tempo de viver reduziu-se a um simples obstáculo que é preciso ultrapassar a uma velocidade sempre crescente."


Milan Kundera, in "A Imortalidade"

publicado por Caminhando... às 20:41
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
16
17
19
20
22
23
24
25
26
28
29
30
31
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters