Caminhando...
 
25
Fev 11

 

 

“Quando Morrie estava contigo, estava mesmo contigo. Olhava para ti a direito nos olhos, e ouvia-te, como se fosses a única pessoa no mundo.

– Acredito em estar completamente presente. Isso quer dizer que devemos estar com a pessoa com quem estamos. Quando estou a falar contigo agora, Mitch, tento concentrar-me apenas naquilo que se passa entre nós. Não estou a pensar em alguma coisa que tenhamos dito na semana passada. Não estou a pensar no que vem ai na sexta-feira.

“Estou a falar contigo. Estou a pensar em ti.”

 (…) Tantas pessoas são tão absorvidas por si próprias, que os seus olhos se reviram se falarmos por mais de trinta segundos. Já têm outra coisa qualquer em mente, um amigo para telefonar, um fax para mandar. A sua atenção só acorda quando paramos de falar, altura essa em que dizem “hum, hum” ou “pois, realmente” e fingem o seu regresso ao momento.

– Parte do problema, Mitch, é que toda a gente está com muita pressa. – disse Morrie – As pessoas não encontram sentido nas suas vidas, e por isso passam o tempo a correr à sua procura. Pensam no próximo carro, na próxima casa, no próximo emprego. Depois descobrem que essas coisas são vazias, também, e continuam a correr.

Escutar alguém verdadeiramente – sem tentar vender-lhe alguma coisa, seduzi-lo, recrutá-lo, ou obter algum tipo de status em retorno – quantas vezes ainda temos disso?

 

Excerto do maravilhoso livro - As terças com Morrie, Mitch Albom

16
Fev 11

 

 

"1 - Por cada tanque fabricado no mundo fabricam-se 131 mil ursos de peluche;

2 - Por cada bolsa de valores que sofre um colapso existem dez versões da música “What a wonderful world”;

3 - Por cada pessoa corrupta há oito mil que doam sangue;

4 - Por cada muro que existe colocam-se 200 mil tapetes a dizer “Bem-vindo”;

5 - Enquanto um cientista projecta armas novas existem um milhão de mães que fazem bolos de chocolate;

6 - No mundo imprime-se mais dinheiro do jogo “Monopólio” do que dólares;

7 - Existem mais vídeos divertidos na internet que noticias más em todo o mundo;

8 - Na internet, AMOR tem mais resultados que MEDO;

9 - Por cada pessoa que diz que tudo vai piorar existem 100 casais que esperam um filho;

10 - Por cada arma que é vendida no mundo 20 mil pessoas compartilham uma Coca-Cola

 

Baseado num estudo realizado em 2010 sobre a situação actual do mundo"

 

Que não maximizemos as coisas más ao ponto de deixarmos de ver as coisas boas. Que valorizemos pequenos momentos, pequenas conquistas e partilhemos sorrisos e ajuda pois entre todos tudo se torna mais fácil e mais enriquecedor. Que nunca esqueçamos que há sempre razões para acreditar!

12
Fev 11

(imagem retirada da internet)

 

“Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem que se sinta melhor e mais feliz!”

Madre Teresa de Calcutá

 

 

07
Fev 11

  

 

“Aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver juntos e aprender a ser só é possível se se aprender a ler, mas noutras dimensões que vão muito para além das meras necessidades instrumentais da leitura.

Ver, imaginar, sentir, reflectir, comunicar com os outros, recriar o próximo e o distante, saber que há outras paisagens, outros modos de viver, outras religiões, outras culturas são capacidades que se desenvolvem privilegiadamente nas experiências de leitura, na escuta de vozes que apelam para a nossa emoção, inteligência, imaginação, desde a mais tenra infância.

Oferecer às crianças e aos adolescentes essas oportunidades é cumprir os compromissos da educação para todos, é respeitar os direitos da criança, é contribuir para o desenvolvimento humano sustentável, é, em resumo, construir uma cultura da paz.

Também não há cidadania responsável, solidária e movida pelo sentido do bem comum se, desde cedo, se não viverem estas experiências que a escuta e a leitura podem revelar e que a escrita permite exprimir e interiorizar, tanto no espaço da família como de uma escola amiga.

Desde muito cedo, os valores do respeito por si, pelos outros e pelo que nos rodeia, o direito à opinião, o dever de participação na vida do grupo, a descoberta da música e da poesia, da literatura oral e escrita, do património intangível que alimenta a cultura familiar e comunitária, podem e devem ser experimentados, constituindo verdadeiros exercícios de cidadania e de estima do património.

Saber ler e gostar de ler, nesta concepção integrada, é também uma forma de realizar tudo aquilo que, no fecho do ano 2000, o ano da Cultura da Paz, jovens de todo o mundo reunidos na UNESCO, num manifesto exemplar, reclamaram aos adultos: o direito à felicidade.”

 

Maria de Lourdes Paixão

publicado por Caminhando... às 21:45
04
Fev 11

Aqui fica uma excelente iniciativa! 

 

“Todas as rádios portuguesas se uniram numa grande operação para desafiar o país a sorrir. A iniciativa é importada e constava de uma proposta simples: às oito e às nove da manhã, todos os que estivessem a ouvir rádio sorriam para os ocupantes dos carros vizinhos. A cena repetiu-se às seis da tarde”

 

 

“Sorriso audível das folhas
Não és mais que a brisa ali
Se eu te olho e tu me olhas,
Quem primeiro é que sorri?
O primeiro a sorrir ri.

Ri e olha de repente
Para fins de não olhar
Para onde nas folhas sente
O som do vento a passar
Tudo é vento e disfarçar.

Mas o olhar, de estar olhando
Onde não olha, voltou
E estamos os dois falando
O que se não conversou
Isto acaba ou começou?"


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

Aqui fica o meu  

02
Fev 11

 

 

(…)

"Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser restolho
há que penar pra aprender a viver


E a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim, dia não
é feita em cada entrega alucinada
pra receber daquilo que aumenta o coração."

(…)

Mafalda Veiga – “Restolho”

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters