Caminhando...
 
16
Jul 09

  

(imagem retirada da internet)

 

Mãe mais velha do mundo morre aos 70 anos em Espanha

 

"Uma mulher espanhola que se tornou na mãe mais velha do mundo quando deu à luz gémeos em 2006 morreu aos 70 anos, anunciou um jornal local esta quinta feira. María del Carmen Bousada de Lara, que teve gémeos aos 67 anos após uma inseminação artificial nos EUA, foi diagnosticada com cancro cinco meses após o parto, segundo o Diario de Cádiz.
Bousada admitiu ter mentido sobre a sua idade quando se candidatou ao processo numa clínica de Los Angeles, devido ao limite legal de 55 anos.
Posteriormente, brincou dizendo que poderia estar viva para conhecer os netos e que a sua própria mãe viveu 101 anos.
Bousada morreu no sábado após uma longa batalha contra a doença, informou o jornal.”
 
Esta é uma das notícias em destaque no dia de hoje.
Começo por dizer que não sou mãe por isso não me posso colocar no lugar desta pessoa e, sobretudo não sou ninguém para tecer juízos de valor mas, existem coisas que me fazem uma imensa confusão.
Compreendo perfeitamente que, o desejo de ser mãe seja muito intenso mas, existem (diversos!) pontos a considerar. A disponibilidade, a capacidade financeira e psicológica, o tempo disponível e suficiente para se criar seres que tanto exigem de nós a todos os níveis.
Neste caso, volto a dizer que não sou ninguém para julgar mas, considero de um extremo egoísmo ter-se uma criança com esta idade, sendo que, a situação se agrava pelo facto de só ter sido possível o nascimento destas crianças devido a uma “grande” mentira.
Não se pensará que, alguém com 67 anos, apesar de ser um humano perfeitamente válido, não terá já tanta paciência, força, saúde e disponibilidade psicológica para educar e tomar conta de 2 crianças!?
Não se pensará que, o tempo disponível com as crianças poderá não ser suficiente para o seu perfeito equilíbrio e desenvolvimento!?
Penso que, nesta situação houve um extremo egoísmo da pessoa, pensando mais na concretização do seu desejo de ser mãe, em vez de, no bem-estar das crianças.
 
Ser mãe exige muito e, sobretudo exige que, deixemos de pensar somente em nós como ser individual e sim, em Nós como família/colectivo.
publicado por Caminhando... às 20:49
Olá Amiga
Realmente esta noticia é desconcertante. Não querendo julgar as intensões da senhora acho que desde o momento em que pensou em ter um filho estava a brincar com a sua saude e com toda a biologia feminina. Concordo contigo, que o ser mãe é uma ocupação a tempo inteiro que requer muito esforço fisico e psicologico. Imagino que não seja o mais indicado para a idade da senhora. E o resultado veio a comprovar isso mesmo.
Este é um dos espectos em que a medicina moderna ajudou no mau sentido.

Um beijinho e um fim de semana cheio de sorrizos
FilipeP a 17 de Julho de 2009 às 18:55
Olá amigo Filipe!
Desconcertante é mesmo a palavra ideal amigo! É assim que caracterizo esta situação. Juntando também a irresponsabilidade e o egoismo puro.
Penso que, toda a gente tem o direito de cumprir e realizar sonhos e desejos mas, quando isso implica que, neste caso, as crianças possam não ter um equilibrado crescimento, esse desejo não devia ser passivel de ser realizado... digo eu claro!
É isso mesmo, as evoluçoes nem sempre são boas...

Um beijinho e um excelente fim de semana, tb cheio de sorrisos e alegria
Eu concordo contigo. Penso que foi egoísmo e irresponsabilidade da parte dela. Assim como no caso da americana que fez insiminação artificial depois de já ter sextúplos e teve mais oito bebés!! Não tem emprego, nem dinheiro para os sustentar, apenas diz que muita vontade, mas só isso não chega, uma criança precisa de mais! É muita irresponsabilidade. Assim teria adoptado, há tantas crianças no mundo a precisar de amor!
Bjns
cuidandodemim a 17 de Julho de 2009 às 18:34
Olá amiga!
Exacto, lembro-me também desse caso! Bem visto. É realmente de uma enorme irresponsabilidade e egoimo...
E são realmente tantas, infelizmente, as crianças que crescem em centros de adoptação sem o devido carinho... que só uma familia pode fornecer.

Beijinhos e um bom fim de semana!
Image

Image
blogando-me1 a 17 de Julho de 2009 às 17:21
Muito Obrigada amiga Fernanda!
Um excelente fim de semana tb para ti e uma

Beijinhos
olá joana :)

...eu acho que quando temos um sonho ...lutamos com todas as forças para o realizar e desse modo ficarmos realizadas...

beijinho e bom fim de semana
pingodemel a 17 de Julho de 2009 às 10:50
Olá Joana!
Exacto mas, penso que, quando a realização desse sonho pode por em causa o bem estar e feliz e equilibrado desnvolvimento de, neste caso crianças, acho que não é passivel de ser realizado!

Beijocas e um bom fim de semana
Doce Joana,

Vais saber um dia...Ser mãe é algo de transcendente, que nos coloca na posição de dar até ao infinito e para sempre até ao fim dos nossos dias...É sentir o inexplicável por um ser que precisa de nós e a quem nos dedicamos de corpo e alma.

Essa senhora, não querendo julgá-la,não pensou nos filhos e no respectivo acompanhamento que lhes deveria dar...Pensou, na minha opinião, egoísticamente, esquecendo o principal, as crianças.

Beijinho carinhoso minha jóia, és uma menina linda e pronto: adoro-te

Margarida

MIGUXA a 17 de Julho de 2009 às 00:55
Minha querida, doce, meiga e amiga Margarida!
Enterneces-me com as tuas palavras as quais agradeço com todo o coração!!

Não o sou ainda mas, tenho um óptimo exemplo cá em casa e, pelo que vejo da minha Mãe, o dar não tem mesmo limites e a satisfação de o fazer e ver um sorriso nos seus rebentos é o melhor que há :)

Penso também, tal como tu que este foi um acto de extremo egoismo...

Minha querida amiga, um beijo imenso para ti e digo-te, tu sim és bonita e, inspiras-me cada vez que te leio, cada vez que leio os teus poemas que revelam um amor tão puro!
As tuas palavras sempre sábias e carinhosas enchem-me o coração!!

E, porque quando o coração sente, é assim que fala digo-te: Adoro-te
Doce Joana
Concordo contigo sim. Não conheço os contornos da história, mas mesmo tendo sido um desejo extremo desta senhora de ter filhos, acho que é de um egoísmo extremo. Não há muito tempo pensei e se eu tivesse outro filho agora iria ter 8 anos de diferença da Inês... e fui desenvolvendo... quando um (a) tivesse 10 anos, a Inês teria 18... ora quando a Inês tivesse 28 a/o irmã/ão teria 18... e eu estaria a caminho dos 57! Lembro-me que fiquei assustada com este pensamento... quanto mais decidir ter um filho com 60 anos! Enfim, neste momento perdem as duas crianças que ficam sem mãe e isso é sem dúvida o mais triste desta história!
Doçura, espero que tudo esteja a correr bem contigo :)
Muitos beijinhos fofos e ternurentos
Sonhos Doces!
Sheila a 17 de Julho de 2009 às 00:25
Olá minha querida amiga!
É realmente algo atroz (considero mesmo).
Julgo que, e é isso que sinto, os valores hoje, para muitas pessoas estão trocados! Não digo que os que eu defendo sejam os unicos validos mas, quando não se pensa nas crianças que iram nascer mas sim na concretizar de um desejo, para mim não é correcto...

É realmente triste... E o que será daquelas crianças...

Minha querida, está tudo bem! Vou-te mandar um mail, mereces isso!

Beijo enorme!
Tens toda a razão Joana, mas eu acho que aqui houve muitos outros intereses envolvidos, esquecendo-se por completo o fundamental: as crianças. Eu não acredito que a senhora conseguisse enganar os médicos a respeito da idade. Isso é impossível. Para tudo é preciso apresentar os documentos e, num caso destes seriam imprescindíveis. Aliás, seria sempre necessário averiguar, pois, pela aparência, consegue-se ter uma ideia da idade das pessoas. Mas, claro, para a clinica que fez esta « proeza » com certeza que compensava infringir a lei. Infelizmente o dinheiro e a fama conseguem fácilmente fazer com que se esqueçam todos os outros valores fundamentais. É triste, mas assim é. Beijinhos e obrigada por teres trazido esta notícia, pois nunca é demais pôr o ser humano a pensar um pouco nas asneiras que faz todos os dias.
Um bom fim de semana
Emília
comecardenovopt.blogspot.com a 16 de Julho de 2009 às 21:34
Olá amiga Emilia!
Concordo contigo! Mal li a noticia também achei estranhissimo o facto de não terem sido pedidos documentos, tendo em conta que, inseminar é algo extremamente importante e que merece todo o cuidado.
Entristece-me, porem em causa a vida tanto da pessoa como das crianças que poderam nascer, por interesses futeis e nada issenciais...
Os valores já estão todos trocados, é isto que muitas vezes sinto!

Beijinho grande e, não agradeças. Fico contente por teres gostado. este é um assunto que mexe comigo e quis partilhar a minha dissertação sobre ele convosco!
Olá Joana,
realmente este é um tema que nos deixa a pensar. Ser mãe com aquela idade é mesmo uma inconsciência. Se eu achei que quando o meu filho nasceu e tinha 32 anos, achava que já era tarde..... E agora que vai ser daquelas crianças? Será que tem um bom suporte familiar? Que lhes irão dizer quando crescerem? Imensas perguntas sem resposta.
Achei lindo trazeres um tema destes ao blog.

Bjs fofos
blogando-me1 a 16 de Julho de 2009 às 21:03
Olá amiga Fernanada :)
Antes de mais deixa-me dizer-te que é optimo ter-te aqui!!
É realmente uma inconsciencia imensa ter-se um filho com esta idade. Tudo fez para realizar o seu desejo e o mais importante, ficando agora as crianças sabe-se lá como!

Fico muito contente por teres gostado! Este é um assunto que mexe comigo daí te-lo querido partilhar convosco ;)
ihih!
Desculpa, acrescentei um "a" no teu belo nome... Fernanda, corrijo :)
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
17
19
20
21
22
24
27
29
31
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters