Caminhando...
 
01
Dez 09

 Caminho de cores

(imagem retirada da internet)

 

"Caminho: faixa de terra sobre a qual se anda a pé. A estrada distingue-se do caminho não só por ser percorrida de automóvel, mas também por ser uma simples linha ligando um ponto a outro. A estrada não tem em si própria qualquer sentido; só têm sentido os dois pontos que ela liga. O caminho é uma homenagem ao espaço. Cada trecho do caminho é em si próprio dotado de um sentido e convida-nos a uma pausa. A estrada é uma desvalorização triunfal do espaço, que hoje não passa de um entrave aos movimentos do homem, de uma perda de tempo.
Antes ainda de desaparecerem da paisagem, os caminhos desapareceram da alma humana: o homem já não sente o desejo de caminhar e de extrair disso um prazer. E também a sua vida ele já não vê como um caminho, mas como uma estrada: como uma linha conduzindo de uma etapa à seguinte, do posto de capitão ao posto de general, do estatuto de esposa ao estatuto de viúva. O tempo de viver reduziu-se a um simples obstáculo que é preciso ultrapassar a uma velocidade sempre crescente."


Milan Kundera, in "A Imortalidade"

publicado por Caminhando... às 20:41
Boa noite amiguita :)
Eu sou um grande apreciador do Caminho. E é nele que todos os destinos tomam sentido. É como dizes as pessoas hoje estão mais interessadas em chegar do que apreciar a viagem. Talvéz porque não encontram sentido nela.
Eu vejo que chegar sem apreciar o caminho é errado, porque na realidade nunca paramos de caminhar. E se pensarmos na vida como sendo um grande caminho de evolução podemos perceber a sua importancia.

BEijinho e bom fim de semana. E que no teu Caminho encontres muita felicidade
FilipeP a 4 de Dezembro de 2009 às 22:34
Olá amigo Filipe :)

É isso mesmo.
E percorrendo um caminho podemos enriquecer e saborear a vida no seu todo. Mas com o stress em que estamos mergulhados, o mais importante não á a viagem mas sim o destino, acabando por, tal como dizes, a vida não ter sentido.

Um beijinho e o mesmo sinceramente te desejo!
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 23:00
!cid_A6FF3672-49F9-41FF-BE16-4DA2F1622136.gif
TiBéu ( Isa) a 3 de Dezembro de 2009 às 19:33
Olá Tibéu!
Obrigada e uma optima noite para ti também :)

Beijinhos
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:58
Hoje o homem quer pressa; não quer estradas, mas sim autoestradas e de preferência sem portagem para nem sequer parar aí. Caminhos ele tem muitos, mas não está com vontade de os percorrer; demora, têm curvas, pedras e encruzilhadas; são belos os caminhos, mas é preciso ir devagar para apreciar a beleza, não tropeçar nas pedras e saber voltar atrás se por acaso escolher o caminho errado; hoje o homem não tem tempo para isso e vai chegar depressa ao fim da estrada sem ter aproveitado a delícia de uma vida calma com tempo para fazer as caminhadas da vida observando tudo de belo que ela mostra ao longo dos seus caminhos. Já quase não há caminhos nas nossas cidade e muito menos na alma do ser humano; aqui só se vê o asfalto das estradas e a escuridão que lhe dá a sua cor acinzentada; as flores das bermas dos caminhos, o verde das arvóres, a cor linda da terra batida foram-se...Um beijinho, Joana e parabéns pelo texto
Emília
comunicadoraspt@hotmail.com a 3 de Dezembro de 2009 às 17:54
Olá amiga Emilia!
Antes de mais, que bom ter-te de volta, já tinha sentido a tua ausencia por aqui. Bom poder ter de novo a tua companhia.

Sabes, é-me sempre complicado comentar os teus comentários (passo a redundancia) pois, és sempre tão concreta que, dizes tudo o que é mais importante referir!
Sabes, ainda hoje, fui correr para uma zona chamada Sabugo e, o verde das arvores, da relva e as plantas coloridas que estavam na berma daquele caminho de terra encheram-me alma e fizeram com o que o meu diz corresse de forma serena e tranquila. Tão bem que fazem estes pequenos prazeres.

Um beijinho
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:57
Ola Joaninha,

Eu pessoalmente prefiro trilhar caminhos, parar nas encruzilhadas e pensar que valeu a pena chegar ao destino.

Beijinhos

Marta a 3 de Dezembro de 2009 às 15:21
Olá amiga Marta!

Temos então as duas a mesma preferência :) É saboreando e Existindo que a vida faz sentido (considero eu, claro)

Um beijinho cheio de vivacidade ;)
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:47
olá joana :)

hoje comento com um post antigo :
http://pingodemel.blogs.sapo.pt/68121.html

beijinho
pingodemel a 3 de Dezembro de 2009 às 12:16
Olá Joana :)

E eu digo-te: Nem mais :)

Obrigada pela partilha!

Beijinhos
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:41
Doce Joana,

É efectiva e aterradora essa transformação que tem vindo a verificar-se ao longo dos tempos. O stress em que actualmente se vive, já não nos deixa espaço para apreciarmos os pormenores do caminho...Iremos ter a certeza disso quando chegarmos ao fim da estrada e constatarmos que perdemos o principal...os pormenores deliciosos que o caminho nos oferece...

Beijinhos ternos
Margarida
MIGUXA a 2 de Dezembro de 2009 às 22:54
Olá amiga Miguxa!

É isso. E ao atravessármos o caminho a "alta velocidade" deixamos escapar aquelas pequenas coisas que fazem com que enriqueçamos e consigamos saborear todo o percurso.

Beijinho carinhoso
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:38
Joana

Muito obrigada por me teres proporcionado a oportunidade de ler este texto: Mais um "caminho" que me ofereceste. Quando li a "Insustentável leveza do ser" fiquei deslumbrada com Kundera, mas depois li o "Livro do riso e do esquecimento" e já se atenuou um pouco o meu deslumbramento e não voltei a ler mais nenhum livro dele (só excertos). Agora com este teu post renasceu a vontade de o ler. É que me identifiquei plenamente estas palavras e achei uma maravilha esta imagem da estrada em contraponto à do caminho. Parece realmente que, em geral, já não tiramos prazer do caminhar pelo caminhar e só vemos o objectivo de chegar à etapa seguinte. Que pena, porque o que interessa é o nosso caminhar, o EXISTIR no caminhar. Se não existirmos nesse caminhar o que é feito da nossa vida?
Que a tua vida seja sempre um caminhar com sentido e pausas relaxantes, minha terna amiga.
descobrirafelicidade a 2 de Dezembro de 2009 às 17:40
Amiga Teresa,

Fico muito contente por teres gostado :)
Sabes, ainda não li nenhum livro deste autor mas, tenho inumeros excertos seus guardados e, são na sua maioria do livro "A insustentável leveza do Ser" e, adoro-os a todos. Gostei tanto que, brevemente, o irei buscar. Dos restantes excertos, alguns desse segundo livro que referes, uns gostei, enquanto outros não me disseram muito.

É isso mesmo.
O que mais importa agora é o chegar e não o caminho que é percorrido até que se chega ao destino.
Já não se saboreia as etapas pelos quais passamos, sempre na ansia de chegar ao mais "importante": o final da estrada.
E tão importante que é desenhar e trilhar um caminho em que, cada passo dado, foi sentido e saboreado, de modo a que, tudo o que este tinha foi "usado" para que pudessemos enriquecer.

O mesmo te desejo querida Teresa!
Um abraço recheado de carinho e muita estima
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:35
Boas, Joana! =)

Gostei!
Como disse a Cuidando de Mim, por incrivel que pareça, também outros autores se têm precipitado na minha vida, e a Milan Kundera ficou em lista de espera, porém, com um excerto destes, a vontade ficou ainda mais vincada.

A vida tem muitas coisas, que com o simples facto de a querermos devorar, e não viver, esquecemo-nos de pontos, e pensamos em estradas. Depois, talvez só lá no final, percebemos o que este excerto nos diz...

Beijinhos
Infinito e Mais Além a 2 de Dezembro de 2009 às 11:15
Olá amigo João!
Sabes, tal como disse à amiga Cuidando de Mim, não li nenhum livro deste autor mas, já li inumeros excertos, tendo inclusive uma pasta só com excertos dele.
Ao le-lo, ora adoro o que ele escreve, ora não me diz muito o que ele comunica. Mas, na sua maioria, são excertos que vale a pena ler e, nos fazem pensar. A maioria dos excertos que tenho são do livro: "A insustentável leveza do ser" e, raro é o que não gosto, tanto que vou brevemente buscar o livro.

Concordo plenamente com o que dizes. A maioria de nós, passa ao lado da vida, pensando que, ter isto, mais aquilo e mais o outro é que faz com que a vida seja bela, deixanso assim de a saborear ( o que acho essencial para que haja harmonia e verdadeira felicidade).

Beijinhos
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:24
Gosto especialmente da parte em que diz que o único sentido do caminho é as duas partes que liga... E estas são diferentes para todos nós, é o que torna a nossa caminhada ainda mais interessante e sobretudo única!
Beijinhos
MissAna a 2 de Dezembro de 2009 às 01:17
Olá amiga Ana!
Essa parte também me faz muito sentido!
É isso mesmo. Cada um tem a sua noção da importancia e de que caminho percorrer.

Beijinhos
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:18
Ando há imenso tempo para ler Milan Kundera e acabo por adiar porque outro autor se mete primeiro na fila... Mas é para breve, este excerto é muito bom!
Bjns
cuidandodemim a 1 de Dezembro de 2009 às 23:09
Olá!
Sabes, ainda não li nenhum livro deste autor mas, já li centenas de excertos e, é sem dúvida um autor que vale a pena ler.

Beijinhos
Caminhando... a 4 de Dezembro de 2009 às 22:17
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
15
16
17
19
20
22
23
24
25
26
28
29
30
31
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters