Caminhando...
 
11
Dez 11

(imagem retirada da internet) 

 

“Não devemos pedir que os acontecimentos ocorram como queremos, devemos querê-los como ocorrem: assim a vida será feliz”.

Epicteto

 

Ter assuntos mal resolvidos só nos faz mal. Cultivar sentimentos de revolta, raiva, incapacidade para perdoar, vai-nos corroendo e destruindo pouco a pouco.

É difícil aceitar a perda de pessoas queridas, doenças, e tantos outros acontecimentos que nos causam grande sofrimento. É sobretudo complicado aceitar que há coisas que não podemos mudar, pois não estão sob o nosso controlo, mas a verdade é que a vida não nos segue, somos nós que a temos de acompanhar.

 

Ao não aceitar tornamo-nos amargos, tristes, tratamos os outros da maneira como nos sentimos e a nossa visão da vida fica limitada, pois a única coisa que fazemos é fugir, deixando de ver o que nos rodeia, e consequentemente que a vida nos passe ao lado. Quanto mais resistimos mais perpetuamos o sentimento, tornando-o mais pesado. Em vez de ter algo a correr atrás de nós, podemos trazê-lo para o nosso lado, pôr-lhe a mão por cima dos ombros e dizer: “Que posso eu aprender contigo?” Há que optar entre viver fugindo ou viver sentindo, e entre sobreviver ou efectivamente viver desfrutando ao máximo desta caminhada.

A dor não desaparece, mas em vez de fugir, podemos aprender a saber lidar com ela. Existe sempre alguma ilação a tirar e oportunidades para crescer.

 

Para aceitar é preciso estar disposto a enfrentar o que nos causa sofrimento, tentando compreendê-lo, e perceber o que aquele acontecimento nos fez ver, que antes não tínhamos capacidade para ver.

Algo que acredito é que a capacidade para aceitar é maior quanto maior for a nossa ligação à vida. Para que esta ligação seja conseguida, precisamos de estar primeiro ligados a nós.

Aceitar não é desistir nem tão pouco resignar-se. É um processo muito complicado, moroso, e pressupõe um intenso trabalho interior. Conseguindo-o, começamos a percorrer um caminho de paz e a vida alarga-se em sentido e profundidade, porque nos tornamos mais atentos e sensiveis a novos aspectos. 

 

 

Nota: É bom estar de volta!

Que supresa agradável!
Fiquei muito contente ao clicar no teu blog e ver que estás de volta e claro já estive a ler os teus textos novos e gostei particularmente do texto sobre "Aceitação", o qual me deu uma forcinha para continuar a caminhar... e me fez refletir sobre o meu caminho :).
E como o fim de semana está quase à porta, espero que o aproveites muito bem. Um grande beijinho para ti e tudo de bom.

Sandra :)

sandra a 16 de Março de 2012 às 00:21
Olá Sandra,

E para mim foi muito bom ver-te aqui. Obrigada.
Fico contente por te ter feito sentido este texto. Espero que estejas bem!

Beijinho grande e tudo a correr bem. Vai dando noticias.
Caminhando... a 25 de Março de 2012 às 23:34
Muito Obrigada, Fernanda. Desejo que tenhas um Feliz Natal e que tudo corra bem!

Mais um beijinho.
Caminhando... a 18 de Dezembro de 2011 às 01:09
Querida Joana
...É mesmo assim este percurso de vida...
... e por vezes o que acontece é que, quando começamos a perceber e sentir que esse é o caminho, quando para nós começa a ser mais claro desta maneira e procuramos crescer neste sentido, queremos também muito transmití-la aos outros, particularmente aos que nos são mais chegados e queridos... e alguns deles, senão a maioria, ainda não estão preparados para procurar ver a vida desta maneira... e volta a aumentar o nosso sofrimento... e precisamos reflectir de novo como lidar com tanto que se nos depara a cada dia... e é isto que torna difícil o aparentemente simples...
Gosto muito das suas reflexões. Sinto-as porfundamente genuínas.
Força Joana! Muita força!!!!!!!!!
Isabel Maia Jácome a 15 de Dezembro de 2011 às 13:31
Olá Isabel!

Muito obrigada pela presença.
Sim, quando descobrimos este caminho, a vontade é logo transmiti-lo aos nossos, sobretudo aqueles que estão agarrados a nuvens muito escuras. A nossa vontade é mostrar que há outro caminho, e que existe mesmo, pois nós já o descobrimos, mas nem sempre os seus olhos e essencialmente, os seus corações, estão preparados ou têm a vontade de procurar e ver este caminho.
Torna-se frustrante e chegamos à conclusão que é necessário aceitar que não conseguimos mudar as coordenadas do caminho de ninguém pois a pessoa só vê, quando estiver preparada para isso. Mas nós lá vamos tentando, porque queremos mesmo que a pessoa consiga ver a cor e luz que a rodeia e acreditamos que, pode ser que naquele dia a pessoa esteja disposta a isso, e por isso temos muita dificuldade em desistir...

Um beijinho Isabel e muito obrigada pelas boas palavras que aqui me deixa!!
Caminhando... a 18 de Dezembro de 2011 às 01:06
Doce Joana,

Saber-te de volta é uma alegria imensa para mim!!!
As tuas palavras trazem sempre um ensinamento, um amparo e muita alegria de viver...és especial!

Festas felizes
Uma chuva de beijinhos
Tua amiga que te adora
Margarida
MIGUXA a 14 de Dezembro de 2011 às 17:44
Olá Margarida!

É muito bom estar de volta e poder ter-te novamente "perto". Tive bastantes saudades!!

Agradeço de coração todo o teu carinho e simpatia.

Um Feliz Natal para ti e um grande beijinho
Caminhando... a 18 de Dezembro de 2011 às 00:27
Fiquei muito feliz por voltar a " ver-te " por cá, Joana. Já tinha saudades, porque os verdadeiros amigos, mesmo aqueles conhecidos através das palavras, fazem muita falta. E tu fizeste! Concordo plenamente que a aceitação é o elemento chave para nos sentirmos bem, embora saiba e, acho que todos sabem, que é muito, muito difícil. A vida às vezes causa-nos muita dor e é difícil entendermos que ela veio por algum motivo. Passado algum tempo começamos a ver que depois dessa pancada da vida, nos tornamos pessoas melhores, mais maduras, mais solidárias, mais preparadas para enfrentar um novo obstáculo. Há uma coisa que não me custa nada a aceitar; aceito as desculpas dos outros, e aceito também os meus erros pedindo com facilidade perdão a quem magoei. O que os outros tem a mais que eu, também aceito, talvez porque eu ache que tenha o suficiente; claro que entendo aqueles que mal tem para comer quando se mostram revoltados ao verem os outros a terem demais e a desperdiçar mais ainda. Conheço também pessoas que pouco tem e que aceitam esse pouco como uma grande dádiva e essas, costumo classificar de abençoadas.. Há porem muitos outros que tem em demasia e que mesmo assim continuam a correr atrás dos bens materiais pisando em todos os que cruzam no seu caminho como se de pessoas não se tratasse. Esses, creio, não se sentem felizes, mas continuam a agir assim talvez achando que um dia o serão. A aceitação daquilo que somos, daquilo que temos, a aceitação dos nossos erros, dos erros dos outros é difícil de alcançar, mas não é impossível; é um aprendizado constante e, com o passar dos anos vamos sendo mais compreensivos, mais tolerantes connosco e com o próximo. Aos poucos, Joana, vamos conseguindo; não podemos desistir! Um grande beijinho e parabéns pelo tema muito oportuno, principalmente nesta época de Natal que nos pede mais solidariedade e mais tolerância para com o nosso próximo. Fica bem, amiga e espero que tenhas uma excelente semana
Emília
comunicadoraspt@hotmail.com a 11 de Dezembro de 2011 às 22:10
Olá Emília!

Tão bom o teu carinho, muito obrigada, também tive bastantes saudades.

Sim, aceitar leva bastante tempo e é extremamente difícil. É como percorrer um caminho de fogo que a certa altura parece não ter fim, mas ao continuarmos, chegamos ao fim desse caminho e começamos a pisar terreno muito mais confortável, que permite que, em vez de andar em bicos de pés, possamos colocar todo o pé no terreno e caminhar livremente.

Um grande beijinho para ti e que tenhas um bom domingo!
Caminhando... a 18 de Dezembro de 2011 às 00:16
Bom... muito bom voltar a ler-te. E mais uma vez nos deixas uma lição preciosa, obrigada.
Joana , fico contente por te ter de volta.
Um beijinho grande
Rosinda
Rosinda a 11 de Dezembro de 2011 às 20:06
Olá Rosinda!

Muito obrigada.
É bom estar de volta, e ter novamente a tua companhia!

Beijinho grande!
Caminhando... a 17 de Dezembro de 2011 às 23:51
E é tao bom voltar-te a ler. Beijocas grandes Lindas e adorei o teu regresso.
Uma optima semana xxxx
Carla a 11 de Dezembro de 2011 às 19:34
Olá Carla,

E é muito bom ter-te aqui a dar-me as boas vindas!! Obrigada.

Beijinho grande e aproveito para te desejar um Feliz Natal.
Caminhando... a 17 de Dezembro de 2011 às 23:49
Já tinha sentido a tua falta Joana, mas ainda bem que voltaste.
Este teu post deixou-me a pensar..... concordo com o que dizes nele, mas tenho alturas em que penso e penso muito se deverei continuar a acreditar nas pessoas, dar-lhe a mão, fazer um carinho, mas chego a triste realidade que não, não vale mesmo a pena. Fico no meu canto, sossegada e acabo por me afastar.... Mas os amigos, aqueles verdadeiros, esses permanecem para sempre no meu .....

Bjs fofos
blogando-me1 a 11 de Dezembro de 2011 às 18:28
Olá Fernanda!

Muito obrigada pela presença, foi bom ver-te por aqui.

Fui visitar o "blogando-me" e li que não estás bem. Envio um beijinho grande e desejo que a pausa te faça bem.

Tudo de bom e até breve
Caminhando... a 17 de Dezembro de 2011 às 23:45
Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters