Caminhando...
 
25
Fev 11

 

 

“Quando Morrie estava contigo, estava mesmo contigo. Olhava para ti a direito nos olhos, e ouvia-te, como se fosses a única pessoa no mundo.

– Acredito em estar completamente presente. Isso quer dizer que devemos estar com a pessoa com quem estamos. Quando estou a falar contigo agora, Mitch, tento concentrar-me apenas naquilo que se passa entre nós. Não estou a pensar em alguma coisa que tenhamos dito na semana passada. Não estou a pensar no que vem ai na sexta-feira.

“Estou a falar contigo. Estou a pensar em ti.”

 (…) Tantas pessoas são tão absorvidas por si próprias, que os seus olhos se reviram se falarmos por mais de trinta segundos. Já têm outra coisa qualquer em mente, um amigo para telefonar, um fax para mandar. A sua atenção só acorda quando paramos de falar, altura essa em que dizem “hum, hum” ou “pois, realmente” e fingem o seu regresso ao momento.

– Parte do problema, Mitch, é que toda a gente está com muita pressa. – disse Morrie – As pessoas não encontram sentido nas suas vidas, e por isso passam o tempo a correr à sua procura. Pensam no próximo carro, na próxima casa, no próximo emprego. Depois descobrem que essas coisas são vazias, também, e continuam a correr.

Escutar alguém verdadeiramente – sem tentar vender-lhe alguma coisa, seduzi-lo, recrutá-lo, ou obter algum tipo de status em retorno – quantas vezes ainda temos disso?

 

Excerto do maravilhoso livro - As terças com Morrie, Mitch Albom

05
Mar 10

(imagem retirada da internet)

 

«Caminha placidamente entre o ruído e a pressa. Lembra-te de que a paz pode residir no silêncio.
Sem renunciares a ti mesmo, esforça-te por seres amigo de todos.
Diz a tua verdade quietamente, claramente.
Escuta os outros, ainda que sejam torpes e ignorantes; cada um deles tem também uma vida que contar.
Evita os ruidosos e os agressivos, porque eles denigrem o espírito.
Se te comparares com os outros, podes converter-te num homem vão e amargurado: sempre haverá perto de ti alguém melhor ou pior do que tu.
Alegra-te tanto com as tuas realizações como com os teus projectos.
Ama o teu trabalho, mesmo que ele seja humilde; pois é o tesouro da tua vida.
Sê prudente nos teus negócios, porque no mundo abundam pessoas sem escrúpulos. Mas que esta convicção não te impeça de reconhecer a virtude; há muitas pessoas que lutam por ideais formosos e, em toda a parte, a vida está cheia de heroísmo.
Sê tu mesmo. Sobretudo, não pretendas dissimular as tuas inclinações.
Não sejas cínico no amor, porque quando aparecem a aridez e o desencanto no rosto, isso converte-se em algo tão perene como a erva.
Aceita com serenidade o cortejo dos anos, e renúncia sem reservas aos dons da juventude.
Fortalece o teu espírito, para que não te destruam desgraças inesperadas. Mas não inventes falsos infortúnios. Muitas vezes o medo é resultado da fadiga e da solidão.
Sem esqueceres uma justa disciplina, sê benigno para ti mesmo.
Não és mais do que uma criatura no universo, mas não és menos que as árvores ou as estrelas: tens direito a estar aqui.
Vive em paz com Deus, seja como for que O imagines; entre os teus trabalhos e aspirações, mantém-te em paz com a tua alma, apesar da ruidosa confusão da vida.
Apesar das suas falsidades, das suas lutas penosas e dos sonhos arruinados, a Terra continua a ser bela.
Sê cuidadoso.
Luta por seres feliz.»


Max Ehrmann

publicado por Caminhando... às 17:05
01
Jan 10

(imagem retirada da internet)

 

      Hoje existem edifícios mais altos e estradas mais largas, porém temperamentos pequenos e pontos de vista mais estreitos;

·      Gostamos mais, porém desfrutamos menos;

·      Temos casas maiores, porém famílias menores;

·      Temos mais compromissos, porém menos tempo;

·      Temos mais conhecimentos, porém menos discernimento;

·      Temos mais remédios, porém menos saúde;

·      Multiplicamos os nossos bens, porém reduzimos os nossos valores humanos;

·      Falamos muito, amamos pouco e odiamos mais;

·      Chegámos à Lua, porém temos problemas em atravessar a rua e conhecer o nosso vizinho;

·      Conquistamos o espaço exterior, porém não o interior;

·      Temos dinheiro, porém menos moral…

·      É tempo de mais liberdade, porém de menos alegrias…

·      Tempo de mais comida, porém menos vitaminas…

 

Por tudo isto, proponho que de hoje e para sempre não deixemos nada para uma ocasião especial, porque cada dia que vivemos é por si só uma ocasião especial.

 

·      Leia-a mais, sente-se na varanda e admire a paisagem sem se importar com as tempestades;

·      Passe mais tempo com a família e amigos, coma a sua comida favorita, visite os lugares que mais gosta;

 

As frases: “Um destes dias”; “Algum dia”, elimine-as do seu vocabulário e escreva aquela carta que pensava escrever: “Um destes dias”.

 

A vida é uma sucessão de momentos para serem desfrutados, não apenas para sobreviver. 

Não adie nada daquilo que somaria à sua vida sorrisos e alegria!"

 

Texto recebido por email

 

 (by marc)

 (imagem retirada da internet)

04
Dez 09

(imagem retirada da internet)

 

“You can run but you cannot hide
This is widely known
And what you plan to do with your foolish pride
When you're all by yourself alone
Once you tell somebody the way that you feel
You can feel it beginning to ease
I think it's true what they say about the squeaky wheel
Always getting the grease.

(…)

Better to shower the people you love with love
Show them the way that you feel
Things are gonna be just fine if you only will

(…)
You'll feel better right away
Don't take much to do
Sell you pride
They say in every life
They say the rain must fall
Just like pouring rain
Make it rain
Love, love, love is sunshine.
Make it rain
Everybody, everybody
Shower the people you love with love”

 

(parte da letra da música em reprodução)

publicado por Caminhando... às 22:10
música: James Taylor - Shower the people
01
Dez 09

 Caminho de cores

(imagem retirada da internet)

 

"Caminho: faixa de terra sobre a qual se anda a pé. A estrada distingue-se do caminho não só por ser percorrida de automóvel, mas também por ser uma simples linha ligando um ponto a outro. A estrada não tem em si própria qualquer sentido; só têm sentido os dois pontos que ela liga. O caminho é uma homenagem ao espaço. Cada trecho do caminho é em si próprio dotado de um sentido e convida-nos a uma pausa. A estrada é uma desvalorização triunfal do espaço, que hoje não passa de um entrave aos movimentos do homem, de uma perda de tempo.
Antes ainda de desaparecerem da paisagem, os caminhos desapareceram da alma humana: o homem já não sente o desejo de caminhar e de extrair disso um prazer. E também a sua vida ele já não vê como um caminho, mas como uma estrada: como uma linha conduzindo de uma etapa à seguinte, do posto de capitão ao posto de general, do estatuto de esposa ao estatuto de viúva. O tempo de viver reduziu-se a um simples obstáculo que é preciso ultrapassar a uma velocidade sempre crescente."


Milan Kundera, in "A Imortalidade"

publicado por Caminhando... às 20:41
17
Nov 09

(imagem retirada da internet)

 

“Uma grande tentação nossa é a de absolutizar. Pegar num acontecimento negativo e dizer: «é tudo assim». Olhar um problema sério e não ser capaz de ver mais nada para além disso. Absolutizar cega e escraviza. O caminho é, pois, o de relativizar, não tirar do contexto, ver também o resto dos acontecimentos e, depois, relacionar com outras exigências. Relativizar e relacionar. Começa aí o caminho de paz.”

Vasco Pinto de Magalhães

publicado por Caminhando... às 21:59
07
Nov 09

 

(imagem retirada da internet)

 

"A liberdade é a grandeza de poder fazer escolhas. Mas, se essas escolhas não tivessem consequências, se nos permitíssemos voltar atrás em assuntos cuja natureza não admite isso, a nossa liberdade ficaria esvaziada. E estaríamos a anular a nossa personalidade, porque nós somos aquilo que fazemos com as nossas escolhas. É com elas que traçamos o nosso caminho e nos definimos."

Paulo Geraldo

Hoje, é necessário que estejamos muito conscientes daquilo que verdadeiramente queremos, porque as ofertas daquilo que não precisamos são imensas, e podem ser tão tentadoras que, ao serem aceites, nos fazem perder o rumo ... Há muita pressão para que não façamos escolhas conscientes e nos deixemos guiar pelo que aparenta ser Mais e Melhor do que  aquilo que temos.

 

 Julgo que  o mais importante é fazer com que, as escolhas feitas, não vão contra os valores e as bases que defendemos.

05
Nov 09

(imagem retirada da internet)

 

"É muito cómodo dizer: "Não presto; não me sai - não nos sai - uma direita!". Além de não ser verdade, esse pessimismo esconde uma enorme preguiça... Há coisas que fazes bem e coisas que fazes mal. Enche-te de alegria e de esperança pelas primeiras; e enfrenta-te, sem desalento, com as segundas, para rectificar. E sairão bem."

Josemaría Escrivá
publicado por Caminhando... às 22:22
17
Out 09

(imagem retirada da internet)

 

No dia 14 de Outubro, tive o gosto de ler mais um texto escrito pela terna Amiga Teresa.

O tema por si escolhido foi o Optimismo.

Muito gostei de o ler e, deixou-me a reflectir relativamente a esta característica humana de tentar ver sempre o lado positivo das coisas, algo que creio, Infelizmente, estar um pouco em desuso.

 

Encontrei estas palavras de uma psicóloga portuguesa que gostaria de partilhar convosco:

“Segundo a psicóloga Helena Marujo (…) o optimista "é uma pessoa que é capaz de se rir das suas desgraças, que encontra sempre alguma coisa de positivo, de engraçado, de divertido, em particular nas experiências menos positivas. É aquele que sonha e que corre o risco de que esse sonho se venha a realizar. É aquele que acredita que tem capacidades para gerir o seu destino, e que a vida não é uma coisa imposta mas algo que se constrói".

"As pessoas optimistas são aquelas que acham que a vida vale a pena ser vivida".

 

O optimismo, tal como a esta Amiga colocou como título do seu post, constrói-se. Existe a necessidade de ter a percepção de que, temos a hipótese de decidir que caminho e que lado escolher.

Há que, tal como diz esta psicóloga “ treinar a flexibilidade de pensamento. Podemos pensar: ‘Espera lá, isto é uma hipótese, mas há outras.' Há dezenas de explicações para o que nos acontece. Porque é que havemos de pegar sempre nas mais negativas?"

 

Tal como comentei no seu post, penso que o grande problema/entrave à felicidade de muita gente é não dar valor às coisas que possui agora: as pessoas com as quais convive, o trabalho que tem, etc. Quer-se sempre mais e mais, fazendo com que, esta onda de constante insatisfação faça com que o optimismo e a alegria de viver não surjam.
Para que consigamos ser optimistas penso que temos de encontrar uma certa paz interior para que consigamos sentir, ouvir, cheirar, e no fundo valorizar tudo o que nos rodeia, tornando-nos assim agradecidos e, optimistas relativamente ao que poderá vir!
Para que sejamos optimistas temos de ter o coração um pouco confortado pois, de coração vazio é um pouco difícil o sorriso aparecer.

 

Um optimista, segundo esta psicóloga:

- Recusa o perfeccionismo, mas sabe que pode sempre melhorar.
- Sabe que a forma como olha, interpreta e sente a realidade determina em muito essa mesma realidade. Vê o melhor e espera o melhor.
- Acredita que ‘o destino não está marcado'. Pode - e deve - transformar sonhos em realidades.
- Nunca se esquece que tem nas mãos uma parte central do seu próprio futuro
- Sabe que um insucesso ou um erro não é um pecado, mas uma óptima experiência de aprendizagem. Anota, aprende e segue em frente.
- Sabe que os outros têm sempre razões para se comportarem como se comportam, e que mesmo nas pessoas mais difíceis é possível ver talentos.
- Gosta de si, aprecia-se e transmite entusiasmo aos outros.
- Sabe lidar de forma controlada com as emoções mais negativas. Ouve mais do que fala, respeita mais do que impõe.
20
Ago 09

(imagem retirada da internet)

 

"Primeiro pára, senta-te e pensa o que pretendes de bem. Depois, pondera, não as hipóteses teóricas, mas as possibilidades reais. Então, entre duas realidades, podes escolher a melhor. Discernir não é descobrir a única hipótese boa, é decidir, entre coisas boas, qual é a melhor, a mais construtiva para ti e para os outros. Se é fácil ou difícil, isso não conta."

 

Vasco Pinto de Magalhães, in 'Não Há Soluções, Há Caminhos'
publicado por Caminhando... às 21:15
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters