Caminhando...
 
28
Abr 12

 

(imagem retirada da internet)

 

“A satisfação de vida não é algo que acontece. Não é o resultado da sorte ou do azar. Não é algo que se possa comprar com dinheiro ou com poder. Não parece depender tanto dos acontecimentos externos, mas sobretudo do modo como os interpretamos. A satisfação é uma condição vital que cada individuo deve preparar, cultivar e defender. Os indivíduos que sabem controlar e orientar a sua experiência interna são capazes de determinar a qualidade das suas vidas, isso é o mais próximo que podemos estar de uma autêntica satisfação de vida”

Czikszenmihalyi

 

“A autêntica satisfação de vida não só é possível, como se pode e deve cultivar, identificando e utilizando muitas das fortalezas e recursos que o individuo já possui: ao identificar e desenvolver o melhor de si, o indivíduo melhora sensivelmente a sua vida e a de quantos o rodeiam”

Seligman

26
Abr 11

 (imagem retirada da internet)

 

Hoje, depois de ter restabelecido os níveis de vitamina D, enquanto esperava pelo comboio para voltar para casa o meu olhar cruza-se com o de uma senhora, e por causa de uma coisa muito simples, começamos a falar. Pelo que deduzi esta linda senhora teria cerca de 70 anos. Começámos a falar enquanto esperávamos o comboio e quando este apareceu, a senhora de sorriso no rosto diz-me: “Podemos continuar a conversa lá dentro”. E assim foi, durante a viagem tivemos uma conversa muito boa sobre diversos assuntos: desde a liberdade que antes era extremamente reduzida e que hoje é excessiva, aos laços de amizade e amor que antes se criavam e que hoje não se valorizam.

A senhora falou-me um pouco de si e quis saber também um pouco de mim. Trocámos ideias e sobretudo a de que é importante que deixemos que a vida nos toque e que a vivamos realmente não deixando que os dias passem por nós e sejam vazios.

Chegadas ao destino fiz questão de a acompanhar até à saída e despedimo-nos trocando desejos de felizes dias. Pediu-me um beijinho que com todo o gosto dei, e a última frase que me disse foi: “Lembre-se sempre do bom que é gostar de pessoas e da sorte que temos em poder viver a vida!”

Nunca vou esquecer isto, bem como este encontro casual tão saboroso.

 

Que bons são todos os encontros semelhantes a este; aqueles que temos com pessoas que já têm um lugar no nosso coração e depois estes que sucedem por meio das redes sociais. Neste mundo virtual tive/tenho a sorte de encontrar pessoas boas e muito bem formadas e estabelecer laços de genuína amizade que em alguns casos até passam para o lado de cá do ecrã.

Estou virada para o lado do mimo, por isso, deixo aqui um sincero obrigado por todos os sorrisos que me proporcionam, pelo que me ensinam e por todo o carinho que aqui existe.

09
Jan 11

(imagem retirada da internet)

 

Tenho por hábito fazer um balanço de cada dia, mas em altura de mudança de ano, e de comemoração de mais um aniversário gosto de fazer um balanço global de tudo o que vivi.

Tive a sorte de ter um ano de 2010 muito bom. Foi um ano que me trouxe novas experiências e novos saberes. Um ano atribulado, mas muito positivo.

 

No último dia do ano fui fazer voluntariado na Comunidade Vida e Paz e foi uma experiência óptima e a repetir. Fiz parte da equipa das sandes, e entre todos os voluntários, fizemos o melhor que conseguimos.

Já em 2011, ao passar pela Av. da Liberdade em Lisboa olhei para o lado e vi um sem abrigo que tinha bem junto a si, um dos sacos de sandes que com tanto empenho e gosto estivemos a preparar.

Fiquei de coração extremamente confortado. Comecei assim o novo ano de sorriso bem rasgado.

 

A cada dia mais sentido me faz ler palavras como estas:


“Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda a disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa."

 

Autor desconhecido

26
Mar 10

(imagem retirada da internet)

 

"O desgosto e a alegria dependem mais do que somos do que daquilo que nos acontece."

 

Multatuli

publicado por Caminhando... às 15:06
05
Mar 10

(imagem retirada da internet)

 

«Caminha placidamente entre o ruído e a pressa. Lembra-te de que a paz pode residir no silêncio.
Sem renunciares a ti mesmo, esforça-te por seres amigo de todos.
Diz a tua verdade quietamente, claramente.
Escuta os outros, ainda que sejam torpes e ignorantes; cada um deles tem também uma vida que contar.
Evita os ruidosos e os agressivos, porque eles denigrem o espírito.
Se te comparares com os outros, podes converter-te num homem vão e amargurado: sempre haverá perto de ti alguém melhor ou pior do que tu.
Alegra-te tanto com as tuas realizações como com os teus projectos.
Ama o teu trabalho, mesmo que ele seja humilde; pois é o tesouro da tua vida.
Sê prudente nos teus negócios, porque no mundo abundam pessoas sem escrúpulos. Mas que esta convicção não te impeça de reconhecer a virtude; há muitas pessoas que lutam por ideais formosos e, em toda a parte, a vida está cheia de heroísmo.
Sê tu mesmo. Sobretudo, não pretendas dissimular as tuas inclinações.
Não sejas cínico no amor, porque quando aparecem a aridez e o desencanto no rosto, isso converte-se em algo tão perene como a erva.
Aceita com serenidade o cortejo dos anos, e renúncia sem reservas aos dons da juventude.
Fortalece o teu espírito, para que não te destruam desgraças inesperadas. Mas não inventes falsos infortúnios. Muitas vezes o medo é resultado da fadiga e da solidão.
Sem esqueceres uma justa disciplina, sê benigno para ti mesmo.
Não és mais do que uma criatura no universo, mas não és menos que as árvores ou as estrelas: tens direito a estar aqui.
Vive em paz com Deus, seja como for que O imagines; entre os teus trabalhos e aspirações, mantém-te em paz com a tua alma, apesar da ruidosa confusão da vida.
Apesar das suas falsidades, das suas lutas penosas e dos sonhos arruinados, a Terra continua a ser bela.
Sê cuidadoso.
Luta por seres feliz.»


Max Ehrmann

publicado por Caminhando... às 17:05
06
Jan 10

(imagem retirada da internet)

 

Para além da vinda de um Novo Ano, nesta altura celebro mais um Ano de vida.

 

Nestes anos, muitas mudanças sofri, maturidade adquiri e prioridades foram definidas.

Aprendi que é sentindo, que a vida tem sentido. Aprendi que, por muito que nos esforcemos para que não suceda, por vezes é necessário que se bata no fundo para que se tenha a noção do que se tem, e do que se está a perder, pois nada pior do que ter um assunto mal resolvido. Ao conseguir sarar a ferida, para além de ficarmos a saber que afinal temos força interior, é óptimo conseguir depois ver e apreciar as lindas, coloridas e refrescantes cores que o mundo tem e testemunhar que querendo podemos sair do fundo mais maduros e enriquecidos interiormente.

 

Essencialmente estou grata por me sentir Aqui, e por finalmente conseguir sentir em pleno e aproveitar a presença dos Meus!

 

Ao longo destes anos, cheguei à conclusão de que, para se alcançar a liberdade existe sempre o medo, mas talvez seja mesmo para ser assim... Pois, se assim não fosse, que valor lhe daríamos?

 

20
Nov 09

 

(imagem retirada da internet)

 

Tão bom que é sentir que os dias que passam não são indiferentes, pois deixam sempre algo. Algo passivel de ser agarrado, desfrutado, valorizado e partilhado.

 

No fundo, tão bom que é sentir que se vive, em vez de apenas existir…

07
Nov 09

 

(imagem retirada da internet)

 

"A liberdade é a grandeza de poder fazer escolhas. Mas, se essas escolhas não tivessem consequências, se nos permitíssemos voltar atrás em assuntos cuja natureza não admite isso, a nossa liberdade ficaria esvaziada. E estaríamos a anular a nossa personalidade, porque nós somos aquilo que fazemos com as nossas escolhas. É com elas que traçamos o nosso caminho e nos definimos."

Paulo Geraldo

Hoje, é necessário que estejamos muito conscientes daquilo que verdadeiramente queremos, porque as ofertas daquilo que não precisamos são imensas, e podem ser tão tentadoras que, ao serem aceites, nos fazem perder o rumo ... Há muita pressão para que não façamos escolhas conscientes e nos deixemos guiar pelo que aparenta ser Mais e Melhor do que  aquilo que temos.

 

 Julgo que  o mais importante é fazer com que, as escolhas feitas, não vão contra os valores e as bases que defendemos.

17
Out 09

(imagem retirada da internet)

 

No dia 14 de Outubro, tive o gosto de ler mais um texto escrito pela terna Amiga Teresa.

O tema por si escolhido foi o Optimismo.

Muito gostei de o ler e, deixou-me a reflectir relativamente a esta característica humana de tentar ver sempre o lado positivo das coisas, algo que creio, Infelizmente, estar um pouco em desuso.

 

Encontrei estas palavras de uma psicóloga portuguesa que gostaria de partilhar convosco:

“Segundo a psicóloga Helena Marujo (…) o optimista "é uma pessoa que é capaz de se rir das suas desgraças, que encontra sempre alguma coisa de positivo, de engraçado, de divertido, em particular nas experiências menos positivas. É aquele que sonha e que corre o risco de que esse sonho se venha a realizar. É aquele que acredita que tem capacidades para gerir o seu destino, e que a vida não é uma coisa imposta mas algo que se constrói".

"As pessoas optimistas são aquelas que acham que a vida vale a pena ser vivida".

 

O optimismo, tal como a esta Amiga colocou como título do seu post, constrói-se. Existe a necessidade de ter a percepção de que, temos a hipótese de decidir que caminho e que lado escolher.

Há que, tal como diz esta psicóloga “ treinar a flexibilidade de pensamento. Podemos pensar: ‘Espera lá, isto é uma hipótese, mas há outras.' Há dezenas de explicações para o que nos acontece. Porque é que havemos de pegar sempre nas mais negativas?"

 

Tal como comentei no seu post, penso que o grande problema/entrave à felicidade de muita gente é não dar valor às coisas que possui agora: as pessoas com as quais convive, o trabalho que tem, etc. Quer-se sempre mais e mais, fazendo com que, esta onda de constante insatisfação faça com que o optimismo e a alegria de viver não surjam.
Para que consigamos ser optimistas penso que temos de encontrar uma certa paz interior para que consigamos sentir, ouvir, cheirar, e no fundo valorizar tudo o que nos rodeia, tornando-nos assim agradecidos e, optimistas relativamente ao que poderá vir!
Para que sejamos optimistas temos de ter o coração um pouco confortado pois, de coração vazio é um pouco difícil o sorriso aparecer.

 

Um optimista, segundo esta psicóloga:

- Recusa o perfeccionismo, mas sabe que pode sempre melhorar.
- Sabe que a forma como olha, interpreta e sente a realidade determina em muito essa mesma realidade. Vê o melhor e espera o melhor.
- Acredita que ‘o destino não está marcado'. Pode - e deve - transformar sonhos em realidades.
- Nunca se esquece que tem nas mãos uma parte central do seu próprio futuro
- Sabe que um insucesso ou um erro não é um pecado, mas uma óptima experiência de aprendizagem. Anota, aprende e segue em frente.
- Sabe que os outros têm sempre razões para se comportarem como se comportam, e que mesmo nas pessoas mais difíceis é possível ver talentos.
- Gosta de si, aprecia-se e transmite entusiasmo aos outros.
- Sabe lidar de forma controlada com as emoções mais negativas. Ouve mais do que fala, respeita mais do que impõe.
15
Jul 09

(imagem retirada da internet)
 
Recomeça...
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcançares
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar
E vendo
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.
 
[Miguel Torga, Diário XIII]
publicado por Caminhando... às 16:52
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Online
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitas
Free Website Counters