Caminhando...
 
26
Ago 09

(imagem retirada da internet)

 

“Não há tempo para nada, estamos todos cheios de pressa: não há tempo para ler, nem telefonar a um amigo só para saber se está tudo bem. Como não há tempo, as pessoas por vezes ligam-se e dizem: “Olha, só te liguei para te pedir um favor” e depois de o fazerem, invariavelmente desligam prometendo que para a semana iremos almoçar. E até iríamos se houvesse tempo, mas não há. E assim não vamos almoçar. As pessoas só têm tempo quando estão presas no trânsito ou numa situação em que são obrigadas a ter tempo, tipo presas no trânsito. Ou então à espera do autocarro. Ou à espera da sua vez na consulta. Ou à espera de ser atendido na fila longa. As pessoas têm tempo quando estão à espera. É um tempo forçado, como se fosse numa prisão domiciliária, uma liberdade condicional, mas é tempo. Se não houvesse filas de trânsito ou do talho, ninguém teria sequer este tempo, que não é bem aquele tempo no seu estado mais puro, como o tango de Gardel.
 
Ás vezes ligam-me pessoas que parecem ter tempo para mim e interromperam o seu dia para me perguntar como é que estou: “Que é feito de ti que nunca mais disseste nada?”; que me têm visto aqui e ali, que estou em grande. Perguntam-me se eu tenho falado com aquele amigo que ambos temos em comum ­ – “Ainda andas com aquela?” – se estou mesmo bem, se sempre me mudo, se é verdade o que lhes haviam dito, até que de repente, abruptamente me dizem: “Olha! Chegou a minha vez, estão a chamar o meu nome nas colunas!”; que têm de entrar, mas que ligam mais tarde. As pessoas que dizem que ligam mais tarde nunca ligam mais tarde. As pessoas que dizem que ligam mais tarde quando ouvem o seu nome nas colunas são iguais às que dizem que para a semana iremos almoçar. Não vêm almoçar. Não vão ligar mais tarde. Não vão mais nada.
 
As pessoas sem tempo não o procuram porque se habituaram a não o ter. E quando alguém se lhes abeira e anuncia que tem tempo para lhes dar, assustam-se com essa perspectiva e dizem logo que não têm tempo para isso: “Ai que tenho isto para fazer, ai que não posso, ai que não me dá jeito, ai que não consigo, ai que é impossível!” As pessoas sem tempo não quem tê-lo e por isso o matam. Há pessoas que passam a vida a matar o tempo e deviam ser presas por isso como um qualquer homicida. Porque aí, voltaríamos a ter tempo, como se estivéssemos numa fila de trânsito, à espera que a coisa ande.”
 
Fernando Alvim
 
Custará assim tanto arranjar tempo para quem se gosta? Muito sinceramente acredito que, quando realmente se gosta existe tempo, nem que seja para mandar uma mensagem a saber se está tudo bem ou só para dar um "Olá!" como que a dizer: "Lembrei-me de ti, és importante para mim."
A sociedade em que vivemos e em que naturalmente estamos mergulhados exige muito de nós a todos os niveis mas, para quem mais gostamos e para quem precisa, existe sempre tempo. Havendo vontade, arranja-se tempo. Não valerá a pena aproveitar quem temos aqui, valorizando-os e mostrando-lhes que não nos esquecemos deles?
Penso que é necessário e de extrema importância fazer-se uma mudança e olhar em mais do que uma direcção, em vez de somente se canalizar esforços para sucessos e crescimentos individuais.
publicado por Caminhando... às 21:18
Olá Doce Joana!

Que grande verdade!..Mais um post maravilhoso!

..é verdade e eu já senti isso muitas vezes na pele!

Mas só fica quem é realmente Amigo..

Passei mesmo para te dizer: "OLÁ!!Lembrei-me de ti, és importante para mim."

Muito mesmo!!

Um abraço esmaga -ossos..cheio de ternura
Just Moments a 27 de Agosto de 2009 às 00:29
Olá amiga!
Deixaste-me com a no canto do olho!
As tuas palavras e amizade fazem bem ao coração! Confortam-no e alegram-no :)

Muito Obrigada querida e, És importante para mim :)

Recebi e agradeço o teu tão bom abraço! Ainda me estou a recompor de tão forte e reconfortante que foi

Beijo enorme para ti querida amiga
Caminhando... a 28 de Agosto de 2009 às 21:38
Oi Amiga
Este texto retrata a conduta desta nova sociedade,tudo é reclamado..., mas ningúém tem soluções.
Os amigos são raros , mas mesmo esses parecem passaros de arrivação ,desaparecem e voltam ,mas nunca sabemos , quando nem como , é por aí.
Na tua idade, a vida é cheia, reclama-se do muito trabalho, e de não haver tempo...mas amiga, quando uma vida bem preenchida de horários, dá lugar ao tempo livre , por vezes tão livre ,que tràs horas inuteis.. aí nem o telefone toca e ningúem pergunta :Então como estás?
A tristeza instala-se, mas sempre na Esperança, que alguém chegue,talvez um amigo!.
Vive esses dias o melhor que possas, vive intensamente pratica todo o bem, que esteja ao teu alcance .
Herminia
comunicadoras a 27 de Agosto de 2009 às 00:08
Olá amiga Herminia!
Antes de mais, que bom que é ter-te aqui!

Concordo plenamente com o que dizes.
Hoje em dia não importa manter e/ou cuidar de relações. Importa sim ter o máximo possivel de coisas.

Em relação ao que disse-te em relação à idade concordo contigo. Mas sabes, tendo distanciar-me e até nem me revejo em muitos dos adolescentes de agora. O que mais me importa gora, e é isso que transponho para os post aqui do blog é mimar e conservar os meus. Tenho uma familia muito pequena e infelizmente já perdi pessoas proximas mas, felizmente tenho bons amigo que tento preservar e ter sempre um tempo para todos os que gosto, nem que seja para manadar apenas um beijinho de bom dia ou boa noite.
É necessário abrandar o ritmo quando vemos que o que mais gostamos se está a distanciar e a ficar fora do nosso alcance, fora do nosso angulo de visão...

Beijinho grande e gostei muito das tuas palavras.
Caminhando... a 28 de Agosto de 2009 às 21:34
Em poucas palavras disseste tudo. Quando se quer há sempre tempo. Quando não há tempo é porque não se estava realmente motivado para isso. E é assim que vemos quem se importa, quem gosta de nós e quem se preocupa. é assim que diferenciamos o amigo do egoísta.
Bjns
cuidandodemim a 26 de Agosto de 2009 às 22:08
Querida amiga,

Quando existe vontade, arranja-se tempo. E tal como dizes, é neste tipo de situaçoes que diferenciamos o amigo do egoista!

Beijinho grande
Caminhando... a 28 de Agosto de 2009 às 20:47
Hm como eu adorava que tivessem esse tempo para mim, e que eu tivesse esse tempo para todas as pessoas que gosto. Senti falta dos teus pensamentos nestas ausências, joaninha.
Beijinhos **
Marta a 26 de Agosto de 2009 às 21:26
Olá Martinha!
Sinto-te triste... Espero que estejas bem e, eu terei sempre tempo para ti! Sabes como falar comigo ;)

Beiijnho grande e Obrigada!
"Sinto-me triste"

Espero que esteja tudo bem, sabes que de qualquer das formas, sejam certos ou errados os meus conselhos, podes contar comigo nem que seja apenas para dar utilidade aos ouvidos. Ajudaste-me quando precisei e espero um dia poder ser o mesmo tipo de amiga que foste comigo.

Beijinhos
Marta a 29 de Agosto de 2009 às 17:45
A tua presença já me ajuda, pois me deixa feliz :)

Um beijinho grande querida!
Caminhando... a 30 de Agosto de 2009 às 17:20
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
17
19
21
23
24
25
27
28
29
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog