Caminhando...
 
26
Mai 10

 

Ontem, aproveitando o dia livre, fui até Sintra. Vivo no concelho, estando a 10 minutos do coração desta histórica vila.

 

A Natureza enche-me a alma e revigora-me tendo por isso resolvido dar a Volta do Duche. Este caminho é de uma beleza extrema pois, encontramos em ambos os lados da estrada natureza: eucaliptos, pinheiros, acácias, enfim… A meio deste percurso, que é circular, encontramos o Parque da Liberdade.

Em pequena, tantas vezes a minha Mãe lá nos levou mas só ontem, senti que aproveitei e absorvi verdadeiramente toda a beleza deste espaço.

Ao andar pelos caminhos, tocar na árvores, sentar-me nos bancos, sentir o cheiro das plantas, arvores,  os meus olhos ficaram rasos de água. Já não é a primeira vez que me emociono quando estou rodeada pela natureza pois, a sua tamanha beleza deixa-me tão deslumbrada que faz com que sinta até reverência perante ela. Ao estar "dentro" dela, sinto uma sensação de aconchego e de profunda paz.

Partilho convosco algumas fotos, estas tiradas da internet pois as que tirei ainda não passei para o computador:

 

 

Chegada a casa, o sentimento de paz era tão grande que apenas pensei: Muito Obrigada!

 

Ao ler o meu blog, um conhecido perguntou-me porque agradeço tanto e partilho convosco o porquê: Não me canso de agradecer pois, ao faze-lo sinto que estou a valorizar e a não tomar por garantido o que me rodeia o que não me deixaria "ver". As pessoas e toda a restante beleza que me rodeia merecem a minha total atenção e só assim sinto que Vivo e me faz sentido percorrer esta caminhada!

Joana
Creio que não podemos ser verdadeiramente humanos se não reconhecermos e expressarmos gratidão a tudo e todos aqueles que nos fazem bem. E o impacto da gratidão é imenso na vida das pessoas. E embora pareça simples ser grato pela vida, amá-la como ela se nos oferece, não é. Existe todo um caminho de maturidade, desprendimento, responsabilidade e aceitação. Há uma história que tem circulado na internet e tu deves conhecer, mas que não resisto deixar aqui:
Um velho indiano explicava ao seu neto que em todos nós existem dois lobos que travam uma guerra incessante entre eles. Um representa a cólera, a inveja, o orgulho, o medo, a vergonha. O outro representa a benevolência, a doçura, a gratidão, a esperança, o sorriso, o amor. Inquieto o pequenino perguntou: E qual é o mais forte avô? E o velho indiano respondeu: Aquele que tu alimentares.
Obrigada pela tua gratidão Joana! Tenho a certeza de que é um alimento que nunca te faltará. Um abraço agradecido por seres tão linda
descobrirafelicidade a 28 de Maio de 2010 às 15:04
Querida Teresa,

E há tanto para agradecer já viste? Sinto-me muito feliz por conseguir ver e desfrutar de toda esta beleza. Sinto mesmo!

Conheço esta historia, mas agradeço-te a partilha pois é mesmo bonita.

Um abraço muito forte cheio de carinho e agradecimento para ti !!

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
mais sobre mim
pesquisar neste blog