Caminhando...
 
09
Jul 10

 

 

“A espontaneidade não precisa ser espectacular ou dramática; ela é despretensiosa, e pode se mostrar presente na sua maneira de pensar, andar, encarar a natureza, dançar ou cantar no chuveiro.  Mais do que fenómeno tudo-ou-nada (isto é, um acto que é ou não espontâneo), ela ocorre em grau maior ou menor, na maioria das actividades que realizamos.  Mesmo em comportamentos relativamente habituais e automáticos pode haver uma semente de espontaneidade em potencial.

Quando examinadas de perto, as qualidades essenciais de um acto espontâneo são mente aberta, a originalidade de uma abordagem, a vontade de tomar iniciativa e uma integração das realidades.  A espontaneidade não é mera impulsividade ou comportamento ao acaso; é preciso haver certa intencionalidade rumo a um resultado construtivo, seja ele estético, social ou prático.”

 

“A maneira de nos relacionarmos com os nossos enganos é elemento-chave na espontaneidade.  A ideia é continuar a improvisar como uma experiência que prossegue e, em vez de congelar, fazer de um engano uma “retomada” que mantém o foco na tarefa.  O estado mental desenvolvido por um guerreiro samurai no Japão dá uma pista: “Não espere nada, esteja preparado para tudo”.  A pessoa espontânea lida com a interferência recentralizando e reassumindo uma presença com mente clara no aqui-agora.”

 

Fonte: Aqui

 

Votos de Óptimo Fim de Semana para todos vós!

publicado por Caminhando... às 22:58
Joana:
Sublinho e procuro praticar...E nisso já vou tendo algum jeito ;)
"A pessoa espontânea lida com a interferência recentralizando"
Não é fácil, mas é possível!
Abraço e boa semana
Marta M
Marta M a 11 de Julho de 2010 às 20:38
Olá Marta : )

Que bom que já tens algum jeito no que toca a esta prática ; )
Também acredito que com vontade e algum exercicio conseguimos!

Abraço e resto de bom dia para ti.



Olá Joana!
Para todos os defeitos e qualidades, eu aplicaria uma frese da minha avó;
"Tudo o que é demais é moléstia..."
Tem de haver um equelibrio, todos temos que nos ajustar aos outros e à vida...
Gosto da expontaniedade, com equelibrio...
é lindo numa criança, mas educamo-las no sentido de serem equilibradas.
E é o que faz falta sermos nós próprios,sim... mas não vivemos sós, daí que o certo é mesmo, a medida certa!
Um beijinho
Rosinda a 10 de Julho de 2010 às 15:22
Olá Rosinda!

Concordo por inteiro. É de extrema importancia que haja um equilibrio, pois como dizes não vivemos sós e é preciso que a nossa atitude revele respeito pelo outro.
É importante que sejamos nós proprios desde que não alarguemos a nossa liberdade, entrando e invadido a do outro.
Sinto é que cada vez mais racionalizamos demais e sentimos menos. Cada vez mais calculamos tudo.
Há que soltar um pouco as amarras. Faz falta!

Um beijinho
Olá Joaninha! Desculpa só agora vir comentar. Sou a Sindarin que acabei por adoptar o meu nome e pronto. No fundo é o nosso nome e com ele nascemos não é?. Pois peço desculpa de só agora comentar, tenho andado bastante adoentada e algo confusa. Esta qualidade do ser humano é uma das que mais gosto se bem que ao passo que se é completamente genuíno ao ser espontâneo, cai-se por vezes em grandes "apertos" por acções ou palavras que se dizem e acabam por ser conotadas de forma diferente da que se lhe quis dar, mas é uma graça a sinceridade, a beleza e a quase ingenuidade duma pessoa espontânea. por vezes duma acção dessas nasce a paz e a concórdia e muita coisa boa também. Mil bjs amiga espero poder contar com a tua amizade. Um bfsemana com paz e amor.
FatimaSoares a 10 de Julho de 2010 às 14:25
Olá Fátima!
Mais uma vez, bem vinda.

Falar com o coração é importante mas há que de facto saber que há alturas em que devemos pensar e depois agir, para que não sucedam esses "apertos".

Beijinhos e que a tua saúde estabilize e fique tudo bem!
Por isso eu gosto tanto e me sinto tão bem junto de crianças!!

Bom fim de semana!
Beijinhos
Cris a 10 de Julho de 2010 às 12:32
Olá Cris!

: ) Associo a espontaneidade a pureza, simplicidade e até doçura, sendo as crianças um bom exemplo disso!

Beijinhos
Gosto de pessoas espontaneas! São sinceras, fazem o que o coração lhes diz, sem pensar muito. Muitas das nossas atitudes são pensadas, calculadas, medindo todos os prós e contras para que não falhemos; é claro, há tarefas e atitudes que têm de ser tomadas assim; outras porém, devem ser espontâneas, livres seguindo só o impulso do nosso coração; se errarmos, paciência---há sempre oportunidade de recomeçar. Beijinhos, Joana e um bom fim de semana
Emília
comunicadoras a 10 de Julho de 2010 às 11:56
Olá Emilia!

É isso mesmo que dizes, hoje, pensamos sempre muito, tornando-se depois tudo muito mecânico. A espontaneidade transparece pureza e simplicidade. Ao agir de forma espontanea estamos a abrir e a mostrar o nosso coração.

Beijinhos para ti : )
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog