Caminhando...
 
31
Jul 10

(imagem retirada da internet)
 

Durante muito tempo estiveste dentro de mim. Foste-te entranhando e fazendo com que tudo ficasse com menos cor a cada dia que passava.

Vieste e impuseste-te.

Chegou uma altura em que a tua presença me sufocava, não me deixando alcançar o objectivo da minha existência: Ser e Viver.

Consegui a pouco e pouco descolar-te de mim. Depois, durante um tempo não te quis perto, tive medo que te entranhasses de novo e que clareasses a cor que me rodeava. Pé ante pé, fui-me aproximando de ti e deixei que ficássemos lado a lado.

Bom poder agora ter a hipótese de escolher ou não a tua companhia. Fazes-me falta, mas só em alguns momentos dos meus dias.

 

Hoje, senti a tua falta e procurei-te. Dei-te a mão e lá fomos. Estivemos junto ao mar, junto do arvoredo e junto da paz.

És tu a solidão.

Em apenas momentos da minha vida a tua presença enriquece-me; em todos eles, enfraquece-me. Por isso, fica aí ao lado companheira e sempre que me fizeres falta, chamo-te e faremos com certeza boa companhia uma à outra.

 

Sabes, eu aprendi a apreciar a quietude da solidão. O silêncio e a introspecção que ela permite são essenciais. Era algo que durante muito tempo pensei que nunca iria acontecer, mas frequentemente tenho necessidade desse espaço.
Mas para mim existe aquela grande diferença entre estar sozinho e sentirmo-nos sozinhos. A segunda é raro acontecer. É dificil explicar, mas mesmo nesses momentos em que estou sozinho tenho sempre a sensação que estou acompanhado. Certamente também te acontece a ti :)

Por outro lado não conseguimos fugir da nossa essência social. Precisamos desse contacto físico ( de ouvir palavras e sentir emoções, de olhar nos olhos ) com os outros. Isso faz parte do nosso equilibrio interior.

Em conclusão precisamos dos dois para estarmos realmente bem connosco e sentirmos esse equilibrio interior.

Beijinho Joana
FilipeP a 4 de Agosto de 2010 às 13:17
Olá Filipe!

Que bom que consegues apreciar a "quietude da solidão" e sentir-te assim em paz.
Estar sózinho e estar só é de facto muito diferente pois uma implica imposição e a outra implica uma escolha.

Só conseguimos enriquecer estando e debatendo ideias com o outro sem dúvida. Só assim conseguimos crescer enquanto pessoas.
Por outro lado, os momentos de sossego sabem tão bem. Nestes momentos conseguimos reflectir e até apreciar e dar mais valor aos momentos pelos quais passamos.
Havendo um equilibrio um sorriso se forma no coração e na alma : )

Beiijnhos para ti e que tenhas uma boa noite e muita paz nos teus dias.
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog