Caminhando...
 
01
Jun 11

 (imagem retirada da internet)

 

“O nosso maior medo não é que sejamos incapazes.
O nosso maior medo é descobrir que somos muito mais poderosos do que pensamos.
É a nossa luz e não as nossas trevas, aquilo que mais nos assusta.
Procurar ser mediano não vai ajudar em nada o mundo. Não existe nenhum mérito em diminuir os nossos talentos, apenas para que os outros não se sintam inseguros ao nosso lado.
Nascemos para brilhar e essa luz está em todos, não apenas em alguns. Quando deixamos a nossa luz brilhar, inconscientemente damos permissão para que outras pessoas possam também manifestá-la. Assim que nos libertamos do nosso próprio medo, a nossa presença automaticamente liberta outros.”

 

Marianne Williamson

 

Olá Joana!

Bonito texto!. De facto não devemos ter medo!. Ter medo é uma manifestação de frustração. Devemos ser nós próprios, com as nossas qualidades e com os nossos defeitos!. Tanto as qualidades como os defeitos são vistos pelos outros de diferentes formas: para uns as qualidades são defeitos e para outros os defeitos são qualidades!... Por isso mesmo, tal como somos, podemos despertar nos outros sensações até então adormecidas!. E, assim nasce o amor, a amizade, a solidariedade ..... !.

Um beijinho

Jcm-pq
jcm-pq a 1 de Junho de 2011 às 19:16
Olá Jcm-pq!
Já tinha saudades de o ler.
Não o vejo dessa forma: "Ter medo é uma manifestação de frustração", pois acredito que o medo tem diversas formas e razões para existir e diferentes maneiras de se manifestar, e estas variam de pessoa para pessoa consoante os acontecimentos pelos quais passa.

Sim, para ser, "sê inteiro". Ao mostrarmos isso, os outros descobrem, tal como diz, sensações adormecidas.

Beijinhos e fiquei muito contente com a sua visita.

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
28
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog