Caminhando...
 
28
Abr 12

 

(imagem retirada da internet)

 

“A satisfação de vida não é algo que acontece. Não é o resultado da sorte ou do azar. Não é algo que se possa comprar com dinheiro ou com poder. Não parece depender tanto dos acontecimentos externos, mas sobretudo do modo como os interpretamos. A satisfação é uma condição vital que cada individuo deve preparar, cultivar e defender. Os indivíduos que sabem controlar e orientar a sua experiência interna são capazes de determinar a qualidade das suas vidas, isso é o mais próximo que podemos estar de uma autêntica satisfação de vida”

Czikszenmihalyi

 

“A autêntica satisfação de vida não só é possível, como se pode e deve cultivar, identificando e utilizando muitas das fortalezas e recursos que o individuo já possui: ao identificar e desenvolver o melhor de si, o indivíduo melhora sensivelmente a sua vida e a de quantos o rodeiam”

Seligman

Olá Joana
que bom que está de volta.
A autentica satisfação da vida depende de cada um, depende do valor que lhe dá, embora dependendo dos momentos.
Sim, a vida seria bem mais fácil se conseguíssemos retirar alguma lição das situações menos boas que nos acontecem...infelizmente acabamos muitas vezes por reclamar, por "barafustar" e por culpar alguém, ainda que esse alguém não seja visível .
Um grande beijinho
momentosdisparatados a 28 de Abril de 2012 às 09:33
Claro que a satisfação da vida só depende de cada um de nós. Há pessoas que têm tão pouco e sentem-se tão satisfeitas com a vida que eu não me canso de pensar nelas e de dizer a mim mesma que tenho muito a aprender com elas. Tenho tudo e sinto-me uma insatisfeita, Joana; podes ter a certeza que todos os dias me interrogo sobre o que mais quererei que a vida me dê? Está certo...tenho alguns problemas, mas ainda não tive os mais duros, aqueles que, eu tenho a certeza, um dia chegarão. Sabes, há uma pessoa que eu admiro
muito, porque sabe ser feliz, independentemente do que vê à sua volta. É o meu marido. Costuma-se dizer que ninguém nos dá a felicidade, ninguém é responsável por ela; somos nós e só nós que temos de buscar a nossa felicidade. Pois ele é assim...é feliz e pronto; só o vi duas vezes triste que foi quando faleceu o pai e depois a mãe, mas mesmo assim soube superar essas perdas de uma maneira incrível. Estou casada com ele há 36 anos e ainda não aprendi. Tento, Joana, mas...não adianta; às vezes penso até que ele está na família errada, pois merecia alguém que estivesse sempre bem, sempre satisfeito com o que é e com o que tem. Mas, cada um é como é, embora ache que devemos a cada dia tentar melhorar, se não for por mais nada, pelo menos para proporcionar aos que connosco convivem uns dias mais alegres. Sabes quem é como ele? O filho; mora longe de nós, a uma hora de distância, mas dá gosto ver os dois juntos quando ele vem a Famalicão ou nós vamos à Régua. Parecem dois amigos e não Pai e filho. Já a minha filha é um pouco como eu e olha que somos os 4 capricornianos. Bem, amiga, cá vou continuar a tentar mudar um pouco e ver de uma vez por todas a abençoada que sou e assim começar a ser uma pessoa mais satisfeita com a vida. Parabéns pelo post. Fiquei contente por te ver de volta. Um beijinho e um bom feriado
Emília
comunicadoraspt@hotmail.com a 30 de Abril de 2012 às 23:03

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog